24jul

Especialistas usam a Luz para avanços tecnológicos em plantas, citros e solos



É a ciência chamada de Fotônica, conhecida como a ciência que estuda as aplicações técnicas da luz, com sua versatilidade e rapidez. O uso da Fotônica tem se revelado uma aliada importante da agricultura na investigação de doenças em plantas, seleção de citros para melhoramento genético e análises da composição química de solos. A pesquisa que diagnosticou precocemente o cancro cítrico e a pior doença da citricultura – o greening, também conhecida Huanglongbing (HLB), – conquistou o prêmio de trabalho destaque no Simpósio de Laser e suas Aplicações, realizado em Recife, Pernambuco, no mês de setembro.

Neste estudo, foram empregadas técnicas conhecidas como espectroscopias, que analisam a luz emitida das amostras. São a Espectroscopia de Fluorescência Induzida por Laser – e a Espectroscopia de Emissão Óptica com Plasma Induzido por Laser – Lasenduced Breakdown Spectroscopy (LIBS).

Ao contrário da medicina, área em que já é explorada para diagnosticar doenças, realizar tratamentos e cirurgias, na agricultura as técnicas começaram a ser usadas na última década apenas. São poucos os grupos de pesquisa desenvolvendo instrumentação na área. Um deles está no Laboratório de Óptica e Fotônica da Embrapa Instrumentação (SP), onde diversas aplicações estão sendo estudadas.

A pesquisadora Débola Milori, que coordena os trabalhos no laboratório, explica que LIFS e LIBS empregam a fluorescência induzida por laser para investigar diferenças na composição química entre folhas de uma árvore saudável e folhas de uma árvore doente, no caso de aplicação para diagnóstico de doenças em citrus. “Doenças, estresses ou outras alterações podem levar a variações nas concentrações dos pigmentos e metabólitos na planta, que podem ser detectadas pela técnica fotônica de fluorescência”, diz.

A cientista lembra que entre as vantagens destas técnicas estão a portabilidade, análise rápida, in loco, sem a necessidade de preparo de amostra, o que contribui para a não geração de resíduos químicos, conforme preconiza o conceito da Química Verde – redução ou eliminação do uso e geração de substâncias nocivas à saúde humana e ao ambiente.